ARTIGOS

Você está em - Home - Artigos - Biomarcadores sanguíneos para Síndrome de Down e Doença de Alzheimer: Uma Revisão Sistemática

Biomarcadores sanguíneos para Síndrome de Down e Doença de Alzheimer: Uma Revisão Sistemática



Síndrome de Down(DS) ocorre devido à triplicação do cromossomo 21. Indivíduos com SD enfrentam um risco elevado para o desenvolvimento da doença de Alzheimer (DA) devido ao aumento de beta-amilóide (A?) resultante da superexpressão da proteína precursora amilóide encontrada no cromossomo 21. O diagnóstico de DA entre indivíduos com SD apresenta desafios particulares, resultando em um foco maior em métodos alternativos de diagnóstico, como biomarcadores baseados em sangue. O objetivo desta revisão foi avaliar o estado atual da literatura de biomarcadores sanguíneos encontrados em indivíduos com SD e particularmente entre aqueles também diagnosticados com DA ou em estágios prodrômicos (comprometimento cognitivo leve [CCM]). Uma revisão sistemática foi realizada utilizando uma estratégia de busca abrangente. Vinte e quatro referências foram identificadas, daquelas, 22 preencheram os critérios de inclusão e foram selecionados para análise posterior com restrição apenas aos biomarcadores baseados em plasma. Os estudos encontraram A? como sendo consistentemente maior entre os indivíduos com SD; no entanto, a ligação entre os peptídeos A? (A? 1-42 e A? 1-40) e AD entre os DS foi inconsistente. As proteínas de base inflamatória foram encontradas de forma mais confiável, levando a um trabalho preliminar focado em uma abordagem algorítmica com proteínas predominantemente baseadas em inflamação para detectar AD e MCI, bem como prever o risco de incidência entre SD. Trabalhos separados também mostraram notável precisão diagnóstica com o uso de uma única proteína (NfL) em comparação com perfis proteômicos combinados. Esta revisão serve para delinear o estado atual da literatura e destacar potenciais biomarcadores baseados em plasma para uso na detecção de AD e MCI entre esta população de risco. Este artigo está protegido por direitos autorais. Todos os direitos reservados.



Fonte: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/31389185

VEJA TAMBÉM:



Texto Original



Down syndrome (DS) occurs due to triplication of chromosome 21. Individuals with DS face an elevated risk for development of Alzheimer's disease (AD) due to increased amyloid beta (A?) resulting from the over-expression of the amyloid precursor protein found on chromosome 21. Diagnosis of AD among individuals with DS poses particular challenges resulting in an increased focus on alternative diagnostic methods such as blood-based biomarkers. The aim of this review was to evaluate the current state of the literature of blood-based biomarkers found in individuals with DS and particularly among those also diagnosed with AD or in prodromal stages (mild cognitive impairment [MCI]). A systematic review was conducted utilizing a comprehensive search strategy. Twenty-four references were identified, of those, 22 fulfilled inclusion criteria and were selected for further analysis with restriction to only plasma-based biomarkers. Studies found A? to be consistently higher among individuals with DS; however, the link between A? peptides (A? 1-42 and A? 1-40) and AD among DS was inconsistent. Inflammatory based proteins were more reliably found to be elevated leading to preliminary work focused on an algorithmic approach with predominantly inflammatory based proteins to detect AD and MCI as well as predict risk of incidence among DS. Separate work has also shown remarkable diagnostic accuracy with the use of a single protein (NfL) as compared to combined proteomic profiles. This review serves to outline the current state of the literature and highlight potential plasma-based biomarkers for use in detecting AD and MCI among this at-risk population. This article is protected by copyright. All rights reserved.

VEJA TAMBÉM: